Secretaria de Assistência Social bate recorde de atendimentos nos primeiros meses de 2021

A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Três Rios vem batendo recordes de atendimentos até o momento, em relação aos dois meses iniciais de 2020. A pasta está reorganizando os serviços socioassistenciais, de acordo com a tipificação, otimizando os serviços, descentralizando e expandindo os atendimentos para os bairros e, assim, identificando e alcançando o usuário de maneira mais rápida.

Um exemplo disso está nos dados referentes ao programa Federal do Bolsa Família. Entre os dias 1º de janeiro a 02 de fevereiro de 2020, foram atendidas apenas 06 novas famílias que receberam o benefício em Três Rios, acompanhadas pelo PAIF (Proteção e Atenção Integral à Família); em relação ao mesmo período, 689 famílias foram contempladas com o programa em 2021.

Outro exemplo está no Centro de Referência de Assistência Social. No ano passado, entre janeiro e fevereiro, o total de atendimentos no local foi de 1.134; No mesmo período em 2021, o CRAS atendeu 2.155 pessoas, ou seja, 1.021 pessoas a mais do que em 2020.

Outro dado a ser mencionado foi que a Assistência Social de Três Rios concedeu 826 cestas básicas de janeiro a fevereiro e ano passado foram entregues apenas 7 cestas nos mesmos meses.

O número de pessoas em situação de rua também tem números relevantes. Ao todo, são 218 atendimentos de usuários que ingressaram no PAEFI (Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos) de janeiro a fevereiro de 2021, contra apenas 15 no ano passado, no mesmo período.

Todas essas informações estão disponíveis no RMA – Registro Mensal de Atendimento – disponível pelo Sistema SAA – Sistema de Autorização e Autenticação do Ministério da Cidadania do Governo Federal.

Segundo Pedro Henrique Brasil, Secretário de Assistência Social e Direitos Humanos de Três Rios, um dos motivos para a mudança nos números foi a existência de uma adequação das unidades de atendimento ao usuário em relação aos profissionais.

“Existia um déficit de profissionais, principalmente assistente social e conseguimos fazer um remanejamento desses profissionais. Aquele agente público que estava em desvio de função em outras secretarias, trouxemos de volta para os seus postos de trabalho, e assim estamos tendo êxito e está sendo um diferencial, expandindo a oferta de serviços. Atualmente zeramos a fila de espera e não existe mais o agendamento para o cadastro único”, disse Pedro Henrique.

O Secretário da Pasta atribui, ainda, essa melhoria ao Prefeito Joacir Barbaglio (Joa) e a toda a nova gestão, que tem essa preocupação de fazer uma política pública assistencial, olhando com carinho e atenção para os menos favorecidos.

“Não teve mágica. Dinheiro sempre teve para comprar, porém o Prefeito Joa determinou o recurso para a compra dos benefícios eventuais (cestas básicas), uma reorganização que nós fizemos, identificando qual é a real demanda, agilizando o atendimento. Ou seja, não tem essa de esperar para o próximo mês para fazer um atendimento. Essa mudança é a cara do governo, de olhar aquela pessoa em vulnerabilidade social como sujeitos de direitos e não como assistencialismo; carinho com a população”, explica o secretário.

Pedro Henrique Brasil lembrou que, através da Secretaria de Assistência Social, já foi entregue na Secretaria de Governo uma matéria que será enviada para a Câmara de Vereadores instituindo a Lei do SUAS – Sistema Único de Assistência Social – que tem em seu principal objetivo criar parâmetros e definir regras, implementando, desta forma, novas políticas beneficentes.

“Iremos implementar dentro do SUAS, outros programas expandindo a oferta de serviços para o usuário atendido, como o programa Cegonha Social, que será para as mães cadastradas no ‘Bolsa Família’ e estiverem sendo acompanhadas pelo programa ‘Criança Feliz’. Elas irão receber um Kit Enxoval e, além disso, iremos aumentar o aluguel social, que hoje é de R$ 300, passando para R$ 590,00. Os critérios do Auxílio Funeral também irão sofrer uma alteração, atualmente contemplando quem ganha até R$ 155, passando para quem ganha até meio salário mínimo. O SUAS também irá criar o Centro de Convivência da Terceira Idade, um espaço específico para os idosos, com convivência hidroterapia, pilates, RPG, artesanatos e passeios turístico; após a aprovação vamos transformar e mudar nossos programas dentro da Secretaria de Assistência Social em Três Rios”, finalizou Pedro Henrique.